List It no Shark Tank

Como foi no Shark Tank

Davi Braga, fundador da List It, quer 200 mil por 30% do negócio.

O List It resolve o problema dos milhares de pais e mães que todos os anos precisam comprar o material escolar dos seus filhos. Faz uma lógica invertida de comércio eletrônico, o consumidor entra no List It, identifica a sua escola e série e o site já mostra a lista escolar completa selecionada e dentro do carrinho.

O cliente precisa apenas finalizar a compra e receber em casa a sua lista escolar.

O projeto começou em 2013, com mais um programador e um designer. Em 2014, a empresa começou a faturar. Em 2015 e 2016, faturaram valores satisfatórios dentro do modelo de venda direta, ganhando 10% sobre cada lista vendida.

Davi quer agora criar um market place escalável e rentável para sair da sazonalidade das listas escolares, para adicionar qualquer outro tipo de lista. Quer também desenvolver um modelo de microfranqueados, onde os franqueados são responsáveis pelo List It em cada cidade.

Tem 3600 clientes. No primeiro ano, venderam 180 listas e no segundo ano quase 160 listas. O ticket médio da lista é 750 reais.

O material sai das lojas parceiras. Os franqueados conseguem essas lojas para entregar todo o material. O List It dá apenas a embalagem para o material ser enviado.

Onde comprar?

List It

 

Tress Cabelos no Shark Tank

1 milhão de reais por 5%.

Em 2015 faturaram 230 mil reais. Até agosto de 2016 já faturaram 450 mil.

As vendas são todas online.

Apenas João Appolinário se interessou, mas não gostou do valuation. Pediu uma proposta melhor. Os empreendedores fizeram uma contra-proposta de 25%. João pediu 50% e fecharam negócio.

Onde comprar?

Os produtos podem ser comprados na loja online da empresa.

Kit Livre no Shark Tank

400 mil por 5% da empresa.

Em 12 meses, a empresa faturou 1 milhão, com margem de 12 a 15%.

Receberam um investimento de um fundo na mesma semana, o que deixou os tubarões desconfortáveis. Nenhum dos tubarões se interessou.

Onde comprar o Kit Livre?

Os produtos do Kit Livre estão disponíveis na loja virtual da empresa.

Portex no Shark Tank

250 mil reais para a produção de 100 mil peças na China, por 8% de royalties.

Já vendeu 50 mil peças para distribuidores.

Nenhum tubarão se interessou, porque a ideia é fácil de ser copiada e a estrutura da proposta é complicada.

Atualização 16/06/2017

O produto foi renomeado para Door Seal e é comercializado pela Polishop.

Você pode comprar o Door Seal online, no Submarino https://goo.gl/j64u8E ou na Americanas https://goo.gl/swBxXt.

QG Food Truck no Shark Tank

QG Food Truck antes do Shark Tank

Eduardo conheceu os food trucks quando estava em San Francisco a trabalho. Ainda não tinha nada parecido no Brasil.

Como foi no Shark Tank

Eduardo, Silvia e Pedro fizeram o QG Food Truck, o primeiro food truck do Brasil especializado em sanduíches e delícias de queijo. A empresa busca 180 mil por 40%.

Eduardo aprendeu nos Estados Unidos que os food trucks de blue cheese faziam sucesso por lá. Com a chegada da onda dos food trucks no Brasil, viu que era o momento para iniciar esse produto.

Tem parceria com uma das maiores empresas de laticínios no Brasil. Já estão há 2 anos com o food truck e agora querem abrir uma loja física, para vender tanto os sanduíches quanto outras delícias de queijo.

No primeiro ano de funcionamento faturaram 190 mil reais. No segundo ano, já faturaram 90 mil.

Querem fazer a loja, mas continuar vendendo no food truck. É uma ferramenta que funciona para levar o produto para qualquer lugar, mas quer crescer com novas lojas.

A loja terá de 20 a 30 lugares, com até 70 metros quadrados e 3 pessoas operando.

Shiba faz várias perguntas e não se convence que os 180 mil são suficientes para montar o restaurante.

Cris pergunta sobre o faturamento previsto nessa loja. Ainda não tem essa resposta.

Para estar em um evento no interior, eles gastam de 2000 a 2500 reais. Os food trucks mais conceituados em São Paulo já estão abrindo lojas.

A margem de lucro deve ser entre 35 e 45%. Os sanduíches são vendidos entre 15 e 20 reais. Trabalham todos os dias, principalmente fim de semana.

O queijo é recebido hoje de graça do parceiro. Isso está mascarando o custo do produto, que é bem maior. O queijo deve aumentar de 3 a 6 reais o custo do sanduíche.

Shiba faz a proposta com a condição de que consigam um contrato para manter o fornecimento de queijo por pelo menos 3 anos, porque isso pode inviabilizar o produto. João Appolinário entra na negociação também.

Shiba e João Appolinário dividem a proposta inicial de 180 mil por 40% da empresa e fecham negócio.

Onde comprar?

Enquanto o restaurante não fica pronto, é possível comprar os sanduíches apenas no food truck. A agenda é sempre compartilhada no Facebook e no Instagram.