Bosta em Lata no Shark Tank

Bosta em Lata antes do Shark Tank

Leonardo, com 18 anos, iniciou a própria empresa e quebrou financeiramente em 2011. Escreveu um livro sobre seu fracasso e agora quer dar a volta por baixo (“por que por cima está difícil”) com seu novo produto.

Como foi no Shark Tank

Leonardo quer um negócio de 150 mil reais por 30% da empresa. Inicia contando sobre como surgiu a ideia, teve primeiro a ideia do nome e depois desenvolveu o produto, uma lata de adubo de fácil manuseio. Distribuiu para os tubarões uma amostra do produto.

O nome foi uma brincadeira, mas ele tem preocupação com a sustentabilidade. Depois de usar o adubo, a lata ainda é reaproveitada como porta-trecos ou cofrinho.

O produto é vendido no site por R$ 19,90 por uma lata de 500g. Os concorrentes vendem sacos de 2kg por 4 reais.

Sorocaba explica que no interior esse produto não vai vender, mas pode existir mercado dentro dos grandes centros urbanos.

Camila questiona a diferença de preço para os concorrentes. Segundo Leonardo, o conceito apresenta um valor agregado que justifica.

Cris Arcangeli defende o produto, que vai vender porque é bonito e pode dar de presente. Leonardo diz que o adubo também é excelente, porque não quer que comprem o produto apenas uma vez por causa da brincadeira.

João Appolinário comenta sobre o fornecedor do adubo, que também é um concorrente do produto. Se a empresa crescer, tem o risco de o concorrente não querer mais fornecer o adubo. Leonardo responde sobre os custos altos de se criar uma indústria de fertilizantes.

Leonardo já colocou 15 mil reais no negócio, terá que vender 10 mil latas para pagar o investimento. A projeção para 2016 é de 12 mil latas. Em 2017 projeta faturar 601 mil reais.

Sorocaba comenta que Leonardo é um baita marketeiro, que o produto é caro e não enxerga como vender o produto, então está fora.

Camila Farani também sai, porque é um problema quando a lata do produto é mais cara do que o próprio produto.

João elogiou o produto, mas sai porque se preocupa com o risco do fornecimento levantado na sua pergunta anterior.

Shiba também sai, porque não vê perpetuidade no produto. Vai vender um pouco mas depois as pessoas vão comprar adubo e colocar na lata.

Leonardo diz que a reutilização da lata é respeito ao meio-ambiente, que as pessoas vão até colecionar a lata.

Depois de tudo isso, Cris fica em dúvida, mas faz uma proposta de 150 mil por 51% do negócio. Leonardo faz contra-proposta de 150 mil por 33%. Ela sai, “eu só faço 50”.

Os tubarões terminam brincando que daria muita mídia falar que a Cris comprou bosta.

Como comprar o produto?

A Bosta em Lata está disponível no site da empresa. Além disso, está também no Mercado Livre, onde é possível ver que uma semana após o episódio, poucas unidades foram vendidas.

 

Conheça os tubarões

Camila Farani

Camila Farani é um dos principais nomes do investimento-anjo no Brasil. Atualmente, é Presidente da Gávea Angels, um dos pioneiros grupos de investidores-anjo no Brasil e que conta com mais de 50 investidores. Além de investir em empresas nascentes de tecnologia em áreas como e-commerce, software e mobile, investe também em setores tradicionais como alimentação e educação.

Carlos Wizard Martins

Carlos Wizard Martins foi presidente do Grupo Multi Educação. Atualmente, ele é presidente da Mundo Verde, maior rede de produtos naturais da América Latina, sócio-fundador da BR Sports – representante de marcas esportivas -, e abriu a primeira loja da rede de fast-food de comida mexicana Taco Bell no Brasil.

Cris Arcangeli

A empresária Cris Arcangeli atua no ramo de cosméticos desde 1986 e é considerada uma das mulheres que mais influenciou e contribuiu para o desenvolvimento do mercado de moda, beleza e bem-estar no país. A carreira de sucesso rendeu a Cris mais de 26 prêmios nacionais e internacionais.

João Appolinário

João Appolinário é o fundador da Polishop, que foi inaugurada em 1999 e é uma das empresas de varejo mais conhecidas do Brasil, além de atender outros países como Espanha, Chile, Peru e Argentina.

Robinson Shiba

Robinson Shiba é o dono da rede de comida chinesa China in Box, inaugurada em 1992 na cidade de São Paulo e hoje presente em várias localidades do país, com mais de 145 lojas da franquia. A China in Box foi a primeira rede de fast-food a oferecer serviço de delivery no Brasil.

Sorocaba

Cantor, compositor e empresário, Sorocaba, da dupla sertaneja Fernando & Sorocaba, é responsável pela administração da carreira de diversos artistas, entre eles: Thaeme e Thiago, Marcos e Belutti, Milionário e Marciano e Lucas Lucco, além de ser investidor em outros ramos como alimentício e esportivo.